Os Dons do Espírito

18/06/2017

1 Corintios

Por Hélio Oliveira

A respeito dos dons do Espírito, irmãos, não quero que estejais na ignorância ( 1Cor 12, 1 )

São Paulo deixou duas listas de dons e serviços que chama de carismas. Em 1 Cor 12, 8-10, e os versículos 28-30.

Será o que aqui abordaremos.

O catecismo da Igreja Católica no n. 2003 diz que são dons que o Espírito nos concede para nos associar a sua obra, para nos tornar capazes de colaborar com a salvação dos outros e com o crescimento do corpo de Cristo à Igreja. Carismas são graças especiais, favor, dom gratuito, benefício e tem como meta o bem comum da igreja.

Havia na comunidade de corinto um exagerado exercício dos dons carismáticos, na forma como exercitavam e o fato deles se vangloriarem pelo dom que cada um recebia. Paulo adverte que nem todas as manifestações do entusiasmo religioso provêm de Deus. O primeiro critério para discernir os verdadeiros dons do Espírito é reconhecer Jesus como Senhor. Os carismas são úteis quando colaboram para o crescimento da comunidade, e não quando servem para ostentação de quem os recebeu.

A vaidade entre os fiéis era tal, que os próprios, menosprezavam uns aos outros dependendo do carismas exercidos ( Cônego Gregório Magno. OPRAEM)

Para fins didáticos dividiremos os carismas em 3 grupos:

1- Dons de Revelação < Conhecimento

< Sabedoria

- Conhecimento = também conhecido como Ciência trata-se do ensinamento perfeito, é inatingível humanamente falando, mas um conhecimento sobrenatural, uma penetração na Ciência de Deus de expor verdades evangélicas, é a revelação de acontecimentos para que se chegue a um diagnóstico para que haja o derramar da graça sobre acontecimentos que prejudicam a vida de seus filhos.

- Sabedoria = É uma direção divina e não humana, é a revelação divina, é a orientação, o prognóstico divino, pura manifestação do Espírito. O carisma da sabedoria tem por intuito revelar, a direção de Deus diante de uma situação.

O dicionário Paulino 2008, p.417, nos dá uma outra finalidade dos referidos dons." A mensagem de sabedoria e conhecimento por exemplo, é linguagem criada pela situação em Corinto. Para Paulo a mensagem de sabedoria é o anúncio da cruz ( cf. 1Cor 1, 18 - 2, 16. a terminologia não ocorre em nenhuma outra passagem). Conhecimento por sua vez, está estreitamente relacionado com os mistérios em 1 Cor 13, 2.

2- Dons de obra < Fé

< Cura

< Milagres

- Fé = Não se trata da fé pela qual o justo viverá, mas a fé que transporta montanhas, uma fé expectante, aquela que leva a uma confiança a Deus, e que Ele pode fazer prodígios.

-cura = É o dom pelo qual Deus manifesta seu poder para restaurar o homem total, corpo (soma); alma (nashamah); espírito (ruáh). Paulo não atribui a alguém o dom de curar, mas vê em cada cura um carisma distinto ou dom da graça.

- Milagres = É a ação, intervenção de Deus que aos olhos humanos é inexplicável. Algo que seria impossível de acontecer. O texto não define que alguém tinha o poder de realizar milagres, pois poder e operações são atribuídas unicamente a Deus.

3- Dons de inspiração < Profecia

< Discernimento dos espíritos

< Línguas

< Interpretação das línguas

- Profecia = É o dom pelo qual Deus manifesta seus pensamentos e intenções para com determinadas pessoas, para consolar, exortar, edificar os homens . São Paulo encorajava e exortava os coríntios a aspirar o dom da profecia, visto que esse dom era o mais útil para a edificação da comunidade.

-Discernimento dos espíritos = Significa distinguir, perceber claramente, é conhecer qual espírito move, inspira determinada pessoa. Para Paulo é a capacidade de penetrar e discernir se aquele que fala é inspirado pelo Espírito Santo ou não.

- Línguas = É um dom de oração, que leva a pessoa a glorificar a Deus em uma linguagem não convencional, inspirada pelo Espírito Santo. Aquele que fala em línguas edifica-se a si mesmo 1Cor 14, 4. Paulo recorda que nem todos tem esse dom e orienta que não impeçais que se fale em línguas, mas que se faça dignamente e em ordem.

Há duas variações do dom das línguas: a Glossolalia, que são sons ininteligíveis, compreensíveis apenas para quem tem o dom da interpretação das línguas, que transmitirá em vernáculo para a edificação da comunidade. E a Xenoglossia que é uma oração em língua desconhecida de quem ora ou fala em línguas que existe ou existiu e que é de domínio e conhecimento humano.

- Interpretação das línguas = Não é o mesmo que traduzir, mas interpretar em vernáculo uma oração ou profecia em línguas, para a edificação da comunidade.